Página inicial‎ > ‎Suporte Linux‎ > ‎

Samba

TESTES COM ESTAÇÕES LINUX NA REDE BM - CONFIGURANDO O SAMBA

# gedit /etc/samba/smb.conf 

Teste com o Mandriva Linux - editar o SAMBA

# configuração do samb.conf

# teste 1 deu certo parcialmente – é possível acessar MCOP – SIGBM

# da outra maneira não era possível

# é necessário criar o usuário

# consegui acessar alguns serviços na intranet sem complicações

# teste dia 10 de agosto 2011 às 21:15h


[global]
netbios name = M5
workgroup = BM.REDERS
security = domain
encrypt passwords = yes

password server = 10.17.67.1
username map = /etc/samba/smbusermap

[arquivos]
path = /home/arquivos
writable = yes



OUTRAS CONFIGURAÇÕES

Instalando e configurando o Samba no Debian em apenas 3 minutos

Primeiro: 
Publicado por Caio Norder em 29/11/2007 

# apt-get update
# apt-get install samba
 

Configurando o Samba: 

# cd /etc/samba/
# mv smb.conf smb.conf2
# pico smb.conf
 

[global]

workgroup = GRUPO
server string = %h server (Samba, Ubuntu)
dns proxy = no
interfaces = lo eth0 eth1
bind interfaces only = true
log file = /var/log/samba/log.%m
max log size = 1000
syslog = 0
panic action = /usr/share/samba/panic-action %d
security = share
encrypt passwords = true
passdb backend = tdbsam
obey pam restrictions = yes
guest account = nobody
invalid users = root
passwd program = /usr/bin/passwd %u

[Servidor]
comment = Servidor de Arquivos
path = /home/servidor
browseable = yes
read only = yes
guest ok = yes

Agora crie a pasta servidor: 

# mkdir /home/servidor
# cd /home/
# chmod 777 servidor/
 

E por fim: 

# /etc/init.d/samba restart 

Abraço a todos, e boa sorte. 


configurei como vc disse mas ainda nai sei nada de samba criei os usuarios e agora como faço no window ja conseguirei enxergar a maquina inux. meu linux e um debian 4.0 e o windows da rede e 2000 professional.... 

Ola carlosleonardo faça essa alteração

[Servidor]
comment = Servidor de Arquivos
path = /home/servidor
browseable = yes
read only = no
guest ok = yes

reinicie o samba acredito que ja estara funcionando ;) 

read only = no ?????

sim detrever, para nao deixar em somente leitura 


estou com um probleminha, fiz tudo como o tuto mais quando acesso o servidor das estações é pedido usuario e senha, como fasso para deixar que eles logem direto sem pedir senha? 

faça a seguinte alteração

[Servidor]
comment = Servidor de Arquivos
path = /home/servidor
browseable = yes
read only = no
guest ok = yes

depois reinicie o samba. nao esqueça de dar permição a pasta. 





O por quê do Samba e configuração do smb.conf

Primeiramente devemos saber o por quê de existir servidor Samba. Sua finalidade é simplesmente possibilitar a comunicação entre máquinas Linux e Windows. Por exemplo, você está em sua rede de computadores e não consegue achar uma pasta compartilhada que está localizada numa máquina Linux. Para você conseguir achar e acessar essa pasta, deve-se ter o servidor Samba para lhe dar esse acesso. 

Bem, todas as configurações do servidor Samba ficam em um único arquivo que se chama smb.conf. Ele fica no Linux (no caso estou usando o Slackware), na pasta /etc/samba/. 

A primeira coisa que devemos fazer é colocar as informações necessárias no próprio arquivo smb.conf. Abaixo está um exemplo simples, todo comentado, do servidor Samba que uso no meu local de trabalho: 

OBS: Linhas que começam com o caractere "#" são apenas linhas comentadas, o servidor não vai considerá-las. 

Para acessar esse arquivo, abra o konsole e digite <su>. Depois digite a senha do root. Após isso você vai digitar: 

# mcedit ./etc/samba/smb.conf 

O comando vai abrir o smb.conf num programa editor de texto. Após abrir você vai colocar as linhas abaixo da forma que está: terminou de digitar, pressione F10 e selecione <yes> para sair salvando as modificações feitas. 

#===== Global Settings =====
[global] 

# nome do domínio da rede ou grupo de trabalho. Você vai substituir a 
# palavra <grupo> pelo nome.
workgroup = grupo

# Nome do servidor na rede. Substitua <Servidor Linux>
server string = Servidor Linux

# Acesso de usuários. Irei usar <share> para acesso público às pastas.
security = share

hosts allow = ALL

# Se seu servidor vai compartilhar impressora, coloque <yes> no lugar do <no>
load printers = no

# Arquivo de log de acesso
log file = /var/log/samba.%m

# Tamanho máximo do log de acesso
max log size = 50

socket options = TCP_NODELAY

# Endereço IP da máquina na qual está sendo configurado o samba
# Substitua xxx.xxx.xxx.xxx pelo seu IP. Ex.: 192.168.2.25
interfaces = xxx.xxx.xxx.xxx

local master = no
domain master = no
preferred master = no
dns proxy = no

# Se houver compartilhamento com máquinas Windows, deixe <yes>
encrypt passwords = yes

read only = no

# Para acessar o servidor, pode ser digitado um nome que você colocará abaixo
netbios name = NOME

# Se os arquivos são somente leitura, coloque <yes>. Se nos arquivos 
# qualquer um pode manejar, deixe <no>. Opto por deixar <no>
read only = no

#===== Share Definitions =====
# Primeiramente você vai colocar o nome da pasta entre colchetes
[programas]

# Agora você vai setar o endereço da pasta dentro do servidor
path = /home/programas
guest ok = yes

# Se a pasta for pública, deixe <yes>
public = yes


Comandos para fazer funcionar

Bem, após feitas as configurações no smb.conf, é normal as pessoas tentarem acessar para ver se deu certo. Infelizmente não vai dar certo por um simples motivo: tem como andar num carro sem dar a partida? Com certeza não! Portanto é necessário um comando para dar o "play" no servidor: 

# ./etc/rc.d/rc.samba start 

Após digitado, pode demorar cerca de 10 segundos, mas irá aparecer uma mensagem dizendo que o servidor foi iniciado. 

Após esta mensagem, aí sim você pode ir para uma máquina Windows, abrir o Windows Explorer e digitar \ENDEREÇO_IP_DO_SERVIDOR que irá aparecer a pasta cujo foi configurada no smb.conf para compartilhar. 

Até aqui o servidor está funcionando. Poderá ter alguns problemas para fazer a manipulação de arquivos dentro da pasta por causa de permissões. Portanto, de primeira instância, opto por você abrir o konsole e setar acesso livre (777) para a pasta. Logue como super usuário digitando <su> e colocando a senha, e depois digite o seguinte comando: 

# chmod 777 /home/software 

O endereço "home" é o endereço da pasta no qual você colocou compartilhada. 

Pronto, agora é só utilizar. 

Espero ter ajudado, dúvidas estou à disposição. 

Abraços! 

Thiago Novato 

para compartilhar mais de uma pasta, faça da seguinte forma:

[pasta1]

path = /home/pasta1
guest ok = yes
public = yes

[pasta2]

path = /home/pasta2
guest ok = yes
public = yes

[pasta3]

path = /home/pasta3
guest ok = yes
public = yes

e assim por diante. 

Fonte: site VIVA O LINUX, Por Thiago Novato Marques



Aprendendo o comando mv

O comando mv é usado para mover ou renomear arquivos e diretórios. Use esse comando com cuidado.

As opções mais utilizadas são:

-i - Modo interativo pede confirmação.

-f - Usa modo forçado, substitui arquivos protegidos.



Exemplo:fernandopaiva@Tux:$ mv arquivo1 arquivo2.txtNeste exemplo estou renomeando o arquivo1 para arquivo2.txt.fernandopaiva@Tux:$ mv /home/fernando/documentos /tmpNeste exemplo estou movendo o diretório documentos para o diretório /tmp.

Aprendendo o comando rm -rf

O comando rm -rf é usado para apagar um diretório, tenha cuidado ao executar esse comando.



Leia o man do comando para se divertir e aprender mais.
Mostrarei como instalar o Samba usando Debian Linux e como o configurá-lo.

Primeiramente vamos instalar o Samba:
# apt-get install samba

Após instalar o Samba vamos configurá-lo:

# cd /etc/samba/
# cp smb.conf smb.conf2 (criaremos uma cópia do arquivo smb.conf por garantia)
# vi smb.conf (arquivo de configuração do samba)

Vamos alterar as seguintes linhas:

[global]
workgroup = GRUPO
server string = %h server (Samba, Ubuntu)
dns proxy = no
interfaces = lo eth0 eth1
bind interfaces only = true
log file = /var/log/samba/log.%m
max log size = 1000
syslog = 0
panic action = /usr/share/samba/panic-action %d
security = share
encrypt passwords = true
passdb backend = tdbsam
obey pam restrictions = yes
guest account = nobody
invalid users = root
passwd program = /usr/bin/passwd %u

Agora quando chegarmos nesta parte aqui:

###################Share Definitions##########################

Adicionaremos o seguinte código:

[Servidor]
comment = Servidor de Arquivos.
path = /home/servidor
browseable = yes
read only = no
guest ok = yes

Salve e feche o smb.conf com o comando wq (w "para salvar" q "para sair").

Após a alteração no smb.conf vamos criar a pasta servidor:

# mkdir /home/servidor

Vamos dar a permissão para esta pasta:

# chmod 777 /home/servidor

Agora vamos reiniciar o nosso Samba:

# /etc/init.d/samba restart

Após este passo vamos criar um usuário para o Samba:

# smbpasswd usuário

Pronto, agora você pode acessar seu servidor Samba, tanto de uma máquina Linux quanto de uma Windows. Espero ter ajudado e uma boa diversão a todos.

Entendendo as permissões

Usa-se muito o chmod e pouco fala-se dele. 

Muitas vezes a pessoa não sabe o que está fazendo quando dá uma permissão 777 ou 455 para um arquivo. Vou explicar mais a fundo o funcionamento do chmod

Um 'ls -la' no Linux tem o seguinte output:
drwxr-xr-x    2 root     root         4096 Set 22 10:08 temp
-rwxrwxr-x 1 garcia garcia 1088 Jul 5 16:17 torpedo
-rw-rw-r-- 1 garcia garcia 18283 Ago 3 13:10 videoteca.tar.gz
-rw------- 1 garcia garcia 4857 Ago 11 11:46 .viminfo
drwxr-xr-x 2 garcia garcia 4096 Jul 15 11:34 vlc
-rw-rw-r-- 1 garcia garcia 14872515 Jul 15 11:30 vlc-binary.tar.gz
drwxr-xr-x 2 garcia garcia 4096 Mar 4 2004 webalizer-2.01-10-x86

Onde constam vários atributos como nome, data, usuário proprietário e as permissões do arquivo. Essas permissões estão na primeira coluna, são aquelas letras "drwx". 

Funciona da seguinte forma: o primeiro caractere dos atributos diz se o arquivo é um diretório ou um arquivo. Se tiver o "d" indica que é diretório.

Os próximos caracteres se dividem em 3 grupos de 3 caracteres. 

Então, fica subdividido dessa forma: 

d rwx rwx rwx
  1. d: tipo de arquivo (diretório);
  2. rwx: permissões do proprietário e/ou usuário;
  3. rwx : permissões para usuários do mesmo grupo;
  4. rwx: permissões para todos usuários.

Mas o que significa rwx?
  • r - read (permissão de leitura);
  • w - write (permissão de escrita);
  • x - execute (permissão de execução.

No DOS ou Windows, quando queremos executar um arquivo temos que usar extensão .exe, .com, .bat, etc. Em UNIX você seta como permissão. 

Ah tá, entendi o que significam as letras, mas... o que significa "chmod 455"??? De onde vem esses números? 

chmod tem a flexibilidade de trabalhar com valores decimais de 0 a 7. Cada valor tem uma combinação de permissões pelos 3 grupos de caracteres que expliquei acima. Vamos à elas. 

0 : --- (nenhuma permissão)
1 : --x (somente execução)
2 : -w- (somente escrita)
3 : -wx (escrita e execução)
4 : r-- (somente leitura)
5 : r-x (leitura e execução)
6 : rw- (leitura e escrita)
7 : rwx (leitura, escrita e execução) 

Vamos a exemplos práticos para que vocês entendam como funcionam isso na prática. 

# chmod 755 arquivo.ext 

Atribui permissão de leitura, escrita e execução para o dono do arquivo (7), leitura e execução para usuários do mesmo grupo (5) e também para outros usuários (5). 

# chmod 640 arquivo.ext 

Atribui permissão de leitura e escrita (6) para o dono do arquivo, somente leitura para usuários do mesmo grupo (4) e nenhuma permissão para outros usuários (0). 

# chmod 777 arquivo.ext 

Permissão total de leitura, escrita e execução para TODOS! Se o servidor que você hospeda seus sites deixar brecha para acessarem ou simplesmente listarem seu diretório ou pasta, outros usuários poderão modificar seus arquivos. por isso é conveniente usar com cuidado. 

Tentei de uma maneira objetiva esclarecer um pouco sobre permissões de arquivos. Espero que isso ajude quem ainda tinha dúvidas sobre o assunto. 


Comments